Não é exagero dizer que Eloi D’avila foi vítima de tantas fatalidades que é um espanto ver aonde o empreendedor conseguiu chegar. Criou do zero a FlyTour – empresa líder em emissão de bilhetes aéreos na América Latina, com faturamento anual superior a R$ 4 bilhões, 220 unidades de negócios e 2.600 colaboradores em todo o Brasil.

Eloi D'avila
Eloi D’avila, , exemplo de determinação e que quando uma pessoa quer vencer na vida, não existe obstáculos – Foto: Folha de São Paulo

 

Eloi fugiu de casa por ser constantemente agredido pela sua irmã e seu cunhado, morou na rua, era acordado pelos outros moradores o queimando com cigarro, carrega até hoje marcas em sua pele. Trabalhou de engraxate, lavador de carros, e chegou até pensar em suicídio se jogando do viaduto do Chá em São Paulo, mas exitou com medo de cair sobre algum carro e ficar gravemente ferido e “falhar em sua missão”.

Um dia na praça da Sé o menino de rua conheceu Manuel, um militar aposentado, pra quem contou que havia fugido de casa e não pretendia voltar. O aposentado ofereceu trabalho de empregado doméstico em sua própria casa, onde Eloi ficou até os 11 anos de idade.

Mas o garoto inquieto foi tentar a vida no Rio de Janeiro. Na cidade maravilhosa, passou meses lavando e guardando carros em frente ao hotel Copacabana Palace. Lá conquistou a confiança dos hóspedes e o carinho da vovó Stella, como era conhecida a fundadora da Stella Barros Turismo, que o contratou como office-boy e o deixou dormir na agência em um pequeno sofá de dois lugares.

Foi na Stella Barros que Eloi teve o primeiro contato com o mercado de turismo. Logo conseguiu destaque e cresceu na empresa, mas devido a problemas familiares D’Avila voltou para São Paulo e foi trabalhar na Bradesco Turismo. Onde segundo ele começou a entender turismo como indústria.

A vontade de Eloi ter o seu próprio negócio fez com que ele se desligasse da agencia de viagens em 1974 e fundar a sua própria empresa, a “EDO Representações Ltda.”, em uma sala emprestada no Hotel São Rafael, no Largo do Arouche, centro de São Paulo. A EDO era responsável pela venda de bilhetes aéreos de uma companhia paraguaia.

A Edo logo mudou de nome para “Flytour Viagens e Turismo” e hoje é denominada “Flytour Travel Solution”, atuando na consolidação e representação de companhias aéreas e atendendo às agências de viagens de todo o país. Hoje fornece soluções para mais de 4 mil agências de viagens em todo o Brasil.

eloi-flytour-empreendedorismo-social

E o que podemos aprender com Eloi D’avila?

Além da história impactante apresentada acima, o empreendedor tem muito a ensinar. Em entrevista recente a Revista Exame e através de uma palestra realizada na Endeavor,  Eloi deixou importante insights para quem quer iniciar ou maximizar o negócio.

1- Persistência

Segundo Eloi, o brasileiro costuma desistir de seus sonhos com muita facilidade. A competência só vem com a experiência e a disposição para assumir riscos. Vencer exige sacrifício, dedicação e uma certa dose de teimosia.

2 – Priorize as pessoas

“Hoje eu tenho uma empresa, mas eu digo que as empresas não existem. Quem existe são as pessoas e são elas que fazem as empresas. Nada se faz sozinho, nenhuma grande estrela brilha sozinha”. 

D’Avila deixa claro que o bem maior de qualquer organização são as pessoas. A Flytour investe forte na formação e capacitação de seus funcionários. Eloi e sua esposa também oferecem cursos em parceria com o SENAC para jovens de baixa renda, onde os mesmo se destacando poderão ingressar na empresa. O empreendedor reforça que, quando o funcionário se sente valorizado, ele abraça o trabalho e realiza suas tarefas com qualidade e maior comprometimento.

3 – Concorrência

“É preciso respeitá-la e não baixar a guarda. Costumo dizer que o meu maior concorrente está dentro de casa. O que isso significa? Que se dei espaço ao outro para crescer é porque não fui eficiente”. – ressalta Eloi.

4- Pense sempre em expandir o negócio

Como já mencionado a EDO era representante da  Linhas Aéreas Paraguaias (LAP), nessa época Eloi notou que não poderia ser representante apenas de uma companhia e foi ampliando o seu negócio, e começou a representar a Lloyd Aéreo Boliviano, a Aeroperu, a Ibéria, a Panam, a Varig e a Transbrasil fazendo com que o seu negócio tivesse sempre em expansão.

Além da Flytour, ao longo dos anos Eloi abriu uma operadora, uma empresa de tecnologia, e uma de eventos, todas ligadas ao turismo. Atualmente está trabalhando em um projeto para abrir em cinco anos 400 unidades no varejo, em shoppings. Serão agências de viagem franqueadas que venderão pacotes para o público em geral.

5 – Segredo do negócio

Segundo Eloi o segredo do sucesso é saber negociar, descobrir o melhor momento para ceder, ter confiança nos outros e buscar o respeito da equipe e dos clientes. Tudo com muita transparência.

DICA DE ELOI D’AVILA PARA OS EMPREENDEDORES

Empreendedores existem aos montes, daí o grande número de empresas que abrem e fecham rapidamente. O que falta a essas pessoas é saber vender o próprio negócio. Se elas vendem, elas sobrevivem. Não dá para criar uma empresa, sentar na cadeira e esperar o cliente chegar. É preciso ir para a rua. Em 2006, eu parei no escritório apenas 20 dias. Nos demais, vendi o meu próprio peixe, trabalhei em média 18 horas por dia. O verdadeiro empreendedor é um conquistador, é aquele que acredita no sonho e dá o sangue para que ele não seja destruído.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *